O dia-a-dia no campo africano

Acima de tudo há o desejo de voltar ao Criador, reencontrar-se com o poder absoluto. E isto é um inconsciente coletivo. Os africanos são um povo religiosamente nato. Sua religião, assim como sua dança, já vem no sangue, que é vermelho como o de qualquer outro ser humano, de qualquer outra  raça. 

[trecho de ‘Os tambores da África’, em Crônicas Missionárias]

A África foi e ainda é uma das regiões mais difíceis para a obra missionária. Sua diversidade cultural, religiosa e étnica geram conflitos armados que potencializam a fome e sede extrema, além das epidemias. Apesar de ser confundido com um país por muitos de nós, o continente africano é formado por países que guardam um pluralidade imensa, o que torna o trabalho missionário ainda mais desafiador.

A nossa dica de leitura traz exatamente esse dia-a-dia de um missionário batista que atuou em Moçambique nos anos 80, em pleno período de guerra civil. São histórias reais contadas através de crônicas que foram publicadas em vários jornais e revistas entre 1984 e 1988, e juntas formaram o livro Crônicas Missionárias.

Atuando como missionário em Moçambique e África do Sul por doze anos, o autor Sebastião Lúcio Guimarães, pastor batista e doutor em teologia especializado em missiologia, nso conta as suas experiências através de uma narrativa leve, mas capaz de nos prender a atenção e nos constranger diante de histórias como a do irmão Josino, que refletem de um cristianismo tão simples, mas verdadeiro.

show_imgCRÔNICAS MISSIONÁRIAS
O dia-a-dia do campo africano

Autor: Sebastião Lúcio Guimarães

Editora: Ultimato

Ano: 2001

Páginas: 168

 

 

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*